sábado, 18 de março de 2017

Ataque ao aeroporto de Orly - Paris

Posted by Charles E. on sábado, março 18, 2017

Ziyed B., francês de 39 anos, foi abatido em Orly

 
 
Identificado pela polícia, era suspeito de se ter radicalizado. Antes de atacar militar no aeroporto baleou um polícia em operação stop.
 
 
 

 
 
 
Era conhecido das autoridades policiais, mas os motivos que levaram o francês Ziyed B. - é assim que está a ser identificado pelos jornais franceses - a roubar uma arma a uma mulher militar no aeroporto de Orly, em Paris, continuam por esclarecer. A investigação à agressão "extremamente violenta", como revelou um porta-voz do exército francês, foi entregue ao departamento antiterrorista de Paris, mas pouco se sabe de eventuais ligações do homem à 'jihad'.
 
 
 
Segundo o jornal Le Parisien, Ziyed B., de 39 anos, não tinha ficha S, esta ficha é normalmente aberta aos suspeitos de atividades terroristas, mas estava sinalizado pelas autoridades, e tinha um currículo extenso em delitos de furto e tráfico de estupefacientes. Estava sob vigilância dos serviços de informação porque enquanto esteve detido, ter-se-ia convertido ao islão e radicalizara-se.
 

 
 
Quando chegou ao terminal Sul de Orly, Ziyed B. lançou-se sobre uma mulher militar da Força Aérea, que estava no local para reforçar o dispositivo de vigilância antiterrorista, chamada "Operação Sentinela". Eram oito e meia da manhã, hora local. A patrulha, de três elementos, foi surpreendida pelo ataque: o indivíduo terá conseguido fazer refém a militar, apoderando-se da sua arma e usando-a para ameaçar os outros dois soldados. Foi um destes que o atingiu com três tiros, para proteger "a camarada e os passageiros", disse o ministro do Interior.
 
 
 
Agressor abatido pelos militares
 
 
Nos minutos a seguir ao ataque, viveram-se momentos de pânico no terminal Sul do aeroporto de Orly, o segundo maior da capital parisiense. A não ser o agressor, não houve outros feridos a registar - a patrulha de militares atacada teve de receber assistência no momento, devido ao choque - mas os passageiros em trânsito sentiram que estava em curso um atentado terrorista. Ouviram-se gritos, atropelos e, no total, foram retiradas do edifício do aeroporto cerca de 3000 pessoas.
 
O ataque levou a que grande parte dos voos com direção a Orly fossem desviados para outros aeroportos. Os passageiros que estavam nos aviões que tinham acabado de aterrar foram impedidos de sair das aeronaves até ao início da tarde. Só nesta altura reabriu o terminal Oeste do aeroporto, estando previsto que o terminal Sul mantenha-se fechado até ao final do dia, para a conclusão das operações da polícia científica.
 
 

 


0 comentários:

Enviar um comentário

  • RSS
  • Delicious
  • Digg
  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin

Search Site