sábado, 25 de março de 2017

"Aniversário da UE não é para celebrar"

Posted by Charles E. on sábado, março 25, 2017

O ex ministro da finanças grego prevê colapso do bloco em 2023

O ex-ministro das Finanças da Grécia, que enfrentou a UE durante o colapso da dívida do seu país, afirmou que o aniversário do Tratado de Roma não é "para celebrar".

Yanis Varoufakis, antigo ministro das Finanças da Grécia, afirmou que a União Europeia está num "estado avançado de desintegração".

Numa dura critica contra o bloco europeu, o economista disse que a instituição europeia está a desmoronar-se e pode deixar de existir em apenas seis anos. Os líderes da UE estão reunidos em Roma para assinalar o 60º aniversário da assinatura do Tratado de Roma, o acordo que deu origem ao projecto da União Europeia.

Falando sobre o aniversário do documento fundador, Varoufakis afirmou que Angela Merkel e Jean-Claude Juncker "não havia nada para comemorar".

Afirmou à Bloomberg:

"Nós não estamos em Roma para comemorar, não há nada em Roma para comemorar.
A UE está numa fase avançada de desintegração, a ideia europeia está em recuo em todo o lado.
Precisamos salvar a Europa de si mesma - e fazer da Europa algo que valha a pena salvar".

O ex-ministro grego, que ficou famoso contra o establishment de Bruxelas durante a crise da dívida grega, apelou para uma "acção drástica".

Varoufakis afirmou que Bruxelas precisa abandonar o controle de poder e dar aos países a sua soberania.

Varoufakis afirmou ainda que o projeto europeu está a cair aos pedaços e mais rápido do que qualquer um percebeu.
Advertiu que, se a Europa não mudar a forma como governa, então a UE não existirá até 2023.

O ex-ministro disse:

"O que há é mais poder para a Europa, mais poder para Bruxelas e cada vez menos soberania para os estados membros".

Ele planeia desvendar um novo acordo europeu pró-crescimento,  alega que irá trazer "problemas comuns a todo o continente, incluindo a Grã-Bretanha".
Ele apontou para a dívida pública, os baixos níveis de investimento e a crescente pobreza como uma causa comum para a UE ficar para trás.
Varoufakis também alertou que, mesmo depois do Brexit ter terminado, a Grã-Bretanha ainda irá precisar de coordenar-se estreitamente com a União Europeia por causa dos seus laços com o continente.

Atacou a estratégia descarada de Juncker para a negociação do Brexit, que acredita ser uma punição à Grã-Bretanha pela decisão do referendo.

O ex-ministro afirmou que este é um sinal da liderança fracassada na Europa.

0 comentários:

Enviar um comentário

  • RSS
  • Delicious
  • Digg
  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin

Search Site