sexta-feira, 28 de abril de 2017

24 de ABRIL de 2036, MEIO DIA EM ISRAEL: O ÁPICE DA TRIBULAÇÃO

Posted by Charles E. on sexta-feira, abril 28, 2017

A data exacta do ápice da tribulação só poderia ser uma data que pudesse ser encontrada em diversas fontes proféticas do planeta, ou seja, que não estivesse restrita a apenas uma única fonte.




A data de 24 de Abril de 2036, é uma data que encontra respaldo, como veremos a seguir, nos evangelhos bíblicos, no livro do Apocalipse, no livro de Daniel no Velho Testamento, nas profecias de Nostradamus, na Cabala e na Numerologia.
Para encontrar a data exacta (24 de Abril) no NT, parti de duas premissas: a primeira é que a profecia de Jesus é contada basicamente pelos 4 evangelistas, ou seja, a data exacta estaria escondida, inclusive com a hora, nos livros dos 4 evangelistas: Lucas, João, Mateus e Marcos.
A segunda premissa é que o ano do evento será em 2036, e para tanto tenho fortes argumentos:

A soma de todos os números de 0 a 36 é: 666, é uma evidência numerológica.









João XXIII informa que o grande evento ocorrerá 20 séculos somados à idade do Cristo, que segundo alguns historiadores nasceu entre o ano 3 e 4 A.C., ou seja, teria morrido com 36 anos.

João XXIII acertou numa das suas profecias, a subida ao poder de Mikail, profecia que se cumpriu quase 10 anos após a sua morte, ou seja, ele já tem uma profecia cumprida.

Nas profecias de Daniel dos 70 períodos, o abominador vem exactamente pelos idos de 2036 (essa profecia é citada por Jesus em, Mateus 24, ou seja, refere-se aos tempos finais).

Vários médiuns espíritas e espiritualistas afirmam que durante o exílio planetário, a Terra sofrerá no seu ápice a influência de um astro. Em 2036 está confirmada pela NASA a passagem do Apophis. 

João Evangelista no Apocalipse capítulo 11, ao prever o atentado às torres gémeas, dá um prazo de 35 anos até à queda completa dos Estados Unidos, esse prazo é de 35 anos, pois é o mesmo prazo da construção das torres gémeas até ao seu fim (1966-2001), 3 períodos e meio de 10 anos (2001-2036).

Nostradamus na Centúria 6, quadra 66, informa que, “a terra tremerá justamente em ABRIL e então o mal será sepultado”. Já vimos o que representa o 666 (o ano 36 do novo século).

Partindo então dessas duas premissas, eu iniciei a minha análise, considerando que o enigma seria desvendado no versículo 36 de cada um dos capítulos onde Jesus fizesse as previsões sobre os tempos finais da Grande Tribulação.

Considerei portanto os 3 evangelhos sinópticos, pois é exactamente neles que Jesus refere de forma semelhante sobre esse evento. Temos então:

Lucas 21:36

Marcos 13:36

Mateus 24:36

Três evangelistas falam sobre as previsões do Cristo, o que indica que será no TERCEIRO MILÉNIO.

Vamos seguir a ordem alfabética dos 3 evangelistas para designar através dos capítulos, o SÉCULO, o MÊS e o DIA (visto que o ano já esta designado como 36)

Lucas: século 21
Marcos: não temos mês 13, portanto somamos 1+3 = Abril
Mateus: dia 24

Sobre a hora, é exactamente a sexta hora (que equivale ao meio dia, pois é a sexta hora da manhã). E só poderia estar expressa de forma oculta no livro do quarto evangelista, João, mais precisamente no Apocalipse. Em Apocalipse 13:18, João fala que o número da Besta é, 666.

Tanto o capitulo 12, como o 13 possui 18 versículos, dessa forma o relato do número da besta é feito, se considerarmos os versículos que começam no capítulo 12 (que representa a hora sexta ou meio dia), no versículo 36 (que é o 18ª versículo do capitulo 13).

Dessa forma, Apocalipse 13:18 é um véu para a verdadeira contagem: Apocalipse 12:36, o que faria com que o Apocalipse tivesse 21 e não 22 capítulos, exactamente o número de séculos que englobam as revelações contidas no livro: do primeiro século, ao século 21. O horário será meio-dia, horário de Israel, 10 horas da manhã segundo o horário de Greenwich.

No livro de João, Jesus dialoga com a mulher samaritana na hora sexta, ou seja, meio-dia (João 4:6). No versículo 35, ou seja, logo o anterior ao 36, Jesus diz:

"Não dizeis vós que ainda há quatro meses até que venha a ceifa? Eis que eu vos digo: levantai os vossos olhos e vede as terras, que já estão brancas para a ceifa." (João 4:35)

Ora, 25 de Dezembro é a data mais celebrada do cristianismo. No dia 24 de Dezembro ocorrem os preparativos para essa grade celebração. Se somarmos 4 meses, teremos 24 de Abril, a data que simboliza as grandes transformações a nível físico na Terra e a prepararão definitiva, a transição do período de expiação e provas para o período regenerador, o período da Nova Jerusalém. Ou seja, nesse versículo João relata o 24 de Dezembro de 2035, em 4:35. Coincidência?

Em 13:39, Mateus afirma que a ceifa é o fim do mundo, no caso o ápice dos eventos do exílio planetário.

Seriam tudo grandes coincidências numerológicas? 

 

 

Jesus termina dizendo:

"Este Evangelho do Reino será pregado pelo mundo inteiro para servir de testemunho a todas as nações, e então chegará o fim. Quando virdes estabelecidas no lugar santo a abominação da desolação que foi predita pelo profeta Daniel (9,27) então os habitantes da Judeia fujam para as montanhas. Rogai para que vossa fuga não seja no inverno, nem em dia de sábado; porque então a tribulação será tão grande como nunca foi vista, desde o começo do mundo até o presente, nem jamais será." (Mateus 24:15-21)

Jesus deixa claro que a profecia dos 70 períodos diz respeito aos tempos finais do terceiro milénio e que só ocorreria após o evangelho ter sido pregado no mundo inteiro (coisa que não aconteceu na época de Jesus). Jesus fala em Mateus que esse período será como nos tempos de Noé (Mt 24:37), e deixa isso claro: "fujam para as montanhas", ou seja, será uma grande inundação provocada por água.

Jesus deixa claro que não adianta tentar fugir na época de inverno. O inverno nos hemisférios norte e sul ocorre durante 8 meses (4 meses em cada hemisfério): parte dos meses de Dezembro, Janeiro, Fevereiro e Março no hemisfério norte, e Junho, Julho, Agosto e Setembro no hemisfério sul.

Dia 24 de Abril é primavera em Israel. Nos versículos 32 e 33, vemos que esses factos ocorrem na primavera, antes do verão: “Compreendei isto pela comparação da figueira: quando os seus ramos estão tenros e crescem as folhas, pressentis que o verão está próximo. Do mesmo modo, quando virdes tudo isto, sabei que o Filho do Homem está próximo, à porta."

A estação mais próxima do verão é a primavera.

Jesus deixa claro que não adianta fugir no sábado, pois o evento será numa quinta-feira.

O ápice da acção do asteróide será em 2036 e quanto mais próximo dessa data, mais forte será essa acção, que continuará até 2072, quando se encerra o exílio planetário, exactamente 36 anos após o ápice.

72 é um número “com significado” na cultura judaica, sobretudo para os estudiosos cabalistas.

As letras do alfabeto Hebraico, 22 letras, associadas de várias formas, indicam as várias manifestações de DEUS – J H V H.

A cabala decifrou o significado espiritual das três frases que aparecem no Livro do Êxodo (Capitulo 14, vers. 19, 20, 21).

Êxodo 14: 19 “Então o anjo do [verdadeiro] Deus que ia na frente do acampamento de Israel afastou-se e foi para a sua retaguarda e a coluna de nuvem afastou-se da sua vanguarda e pôs-se na retaguarda deles”.
 

Êxodo 14: 20 “Assim veio estar entre o acampamento dos egípcios e o acampamento de Israel. De um lado mostrou-se uma nuvem como escuridão. Do outro lado iluminava a noite. E este grupo não chegava perto daquele grupo durante toda a noite”.


Êxodo 14: 21 “Moisés estendeu então a mão sobre o mar e Jeová começou a fazer o mar retroceder por meio de um forte vento oriental, durante toda a noite, e a converter o leito do mar em solo seco, e as águas foram partidas”.

Cada uma das frases, escritas em hebraico, contém 72 letras que revelam a combinação dos 72 Nomes Sagrados com os quais DEUS se manifesta.

Esses nomes são ENERGIAS que regem as Leis da Natureza Manifestada, e são como canais que transmitem a combinação de Luz, Energia e Amor.

Esta fórmula é chamada, “Os 72 Nomes de Deus”. Eles não são realmente nomes. Os 72 Nomes são as sequências de 3 letras compostas de letras hebraicas que têm o poder extraordinário de superar as leis da natureza humana. Estas 72 sequências estão na verdade codificadas na história da Bíblia, que fala a respeito da separação do Mar Vermelho. Elas são como condutores que transmitem vários tipos de energia, desde a Luz até ao nosso corpo físico. Usando o poder dos 72 Nomes e superando as suas naturezas reactivas, Moisés e os Judeus foram capazes de realizar o milagre do Mar vermelho.

Mas as “coincidências” não ficam por aí. Na tabela dos anjos cabalísticos (72, um para cada combinação de 3 letras do idioma hebraico), vejam os dias do, 36ª anjo (Menadel):

10 de Fevereiro, 24 DE ABRIL, 06 de Julho, 17 de Setembro e 29 de Novembro

Sim, um dos cinco dias dele é 24 de Abril!

Cada um dos 72 nomes de Deus é um nome de um anjo, que equivale a um dos 72 anos do período final do exílio planetário, sendo que no ano 36, uma das 5 datas é: 24 de Abril!

A passagem bíblica para este anjo, segundo os estudiosos da Cabala é, Salmos 25:8 que é: “Bom e recto é o Senhor, por isso ensinará o caminho aos pecadores” (Salmo 25:8)

O caminho aqui referido é, o Caminho do Meio (Menadel está exactamente no meio da tabela dos 72 anjos), também conhecido como, “Caminho para a Verdade Superior”, ou “Caminho da Iluminação”, que é o Dharma, ensinado no Hinduísmo, Budismo e Jainismo. Nessas tradições, os seres que vivem em harmonia com o seu Dharma libertam-se mais rapidamente do ciclo reencarnatório (a roda dos samsaras). Jesus, que teve contacto com as tradições budistas através dos essénios, deixou o entendimento do Dharma claro na essência dos seus ensinamentos e da necessidade de praticá-los: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida”.



 

Daniel, os 4 evangelistas e a Cabala, mostram-nos claramente o dia, mês e ano do evento, basta ter olhos para ver.

Já vimos o significado do número 72 e o seu significado, amplo e especial na Cabala. Na Cabala, o 72 é como o marco do fim de um período, como os números 100, 1000.

No início do terceiro milénio ele será o marco do ápice do exílio planetário, cujo ápice dos eventos será exactamente na metade, ou seja, no ano 36.

Já vimos também a questão do 666 ligado ao número 36 (a soma de todos os números de 0 até 36, 0+1+2+3+. +35+36, é 666).

Vejamos agora sua ligação com o número 72.

72 é 27 invertido

27 é 9+9+9

9+9+9 Invertido é, 6+6+6

Mais uma equivalência do 666 com o 72 é que, 6+6x6 é igual a 72

Vimos a explicação sobre o anjo Menadel nos "72 nomes de Deus", ele que é o 36º nome, e tem como um dos cinco dias, o dia 24 de Abril.

E se não bastasse essa "coincidência", cada um dos 72 nomes corresponde a um pequeno período durante o dia, de 20 minutos, onde ele deve ser exaltado. No caso de Menadel esse período é das, 11:40 da manhã ao meio dia. Meio-dia é o horário exacto que vimos aqui para o ápice dos eventos no dia 24 de Abril de 2036. Seria mais uma coincidência?

Temos também:

"Desde a hora sexta até a nona, cobriu-se toda a terra de trevas." (Mateus 27:45)

Temos também no Apócrifo, Apocalipse de Tomé algo interessante:

"E no quinto dia, na sexta hora, um trovejar imprevisto soará no céu e as Potências da luz e da roda do sol serão destruídas e haverá trevas intensas sobre a terra, até à noite, e as estrelas serão retiradas de sua missão. Naquele dia todas as nações terão ódio ao mundo e desprezarão a vida desse mundo. Estes são os sinais do quinto dia".

(24 de Abril de 2036 cai exactamente numa quinta feira, o quinto dia. A sexta hora da manhã é meio-dia).

De 2012 a 2036 vivenciaremos o aceleramento do processo epilatório, a 24 de Abril de 2036 vivenciaremos o auge do exílio, até aos primeiros anos da década de 40 vivenciaremos a reconstrução do planeta, o período de pacificação, para que pelos idos de 2052 a Terra já possa ser considerada um mundo Regenerado, onde a grande maioria dos espíritos encarnados será de evolução compatível com um mundo Regenerado, sendo que em 2072 será o fim completo do exílio planetário, com uma minoria de espíritos que até essa época não tenham conseguido atingir o nível moral necessário para permanecer encarnando na Terra.

Temos assim diversas informações, de diversas profecias e profetas confiáveis, que apontam exactamente para um mesmo ponto, um mesmo foco, um alerta em uníssono para toda a humanidade que a data do ápice já está marcada e depende de cada um o esforço pessoal na reforma íntima para enfrentar esse período de gigantescas mudanças que já se mostra a surgir no horizonte. Que cada um possa reflectir e aproveitar melhor esse precioso tempo para definitivamente merecer a Terra Regenerada que começará a surgir após o exílio planetário.


Fonte: http://profeciasoapiceem2036.blogspot.pt/


0 comentários:

Enviar um comentário

  • RSS
  • Delicious
  • Digg
  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin

Search Site