quinta-feira, 6 de abril de 2017

BURACO NEGRO SUPERMASSIVO - CIENTISTAS CONFIANTES (com vídeo)


Cientistas revelaram que estão próximos de uma descoberta potencialmente extraordinária e à beira de fotografar pela primeira vez a borda do buraco negro ou o horizonte de eventos.



O mistério à volta dos buracos negros pode finalmente ser revelado pela primeira vez quando virem as bordas do fenómeno celestial.









O telescópio Event Horizon será usado para tentar obter alguma visão sobre o buraco negro no meio do nosso sistema solar, a Via Láctea.
Nomeado Sagitário A * (Sgr A *), é quatro milhões de vezes maior do que o nosso Sol.

Os cientistas estão a tentar examinar a fronteira na qual a atração da gravidade torna-se tão forte que nada, incluindo a luz, pode escapar.






Jamais será capaz de existir uma fotografia do interior de um buraco negro porque a luz não pode sair para fora do buraco negro.
Na mira dos poderosos  telescópios estão dois buracos negros supermassivos, um no centro de nossa galáxia e o outro numa galáxia próxima a M87.

Eles esperam capturar pela primeira vez o gás que gira em torno do horizonte de eventos, antes que os buracos negros o consumam.

O horizonte de eventos é o nome dado ao 'ponto de não retorno'.
Sheperd Doeleman, astrónomo do Haystack Observatory, MIT, afirmou: "O horizonte de eventos é onde a gravidade começa a fundir-se em si."

Doleman irá instalar relógios precisos para alinhar os dados dos telescópios chilenos com os de observatórios no Havaí, Espanha e, eventualmente, no Pólo Sul.
Falando sobre o próximo evento ainda este mês, o Sr. Doleman afirmou: "Temos trabalhado nisto há uma década. É emocionante estar tão perto".





O telescópio de última geração é de fato composto por oito observatórios de rádio que se unem para formar uma rede que atravessa o globo.
As novas observações serão as primeiras a usar o Atacama Large Millimeter / submillimeter Array, situado no deserto de Atacama, um local popular para observação de estrelas.

Com estas nova técnica os astrónomos esperam aumentar as hipóteses de detectar algo novo.
Os astrónomos irão gravar dados durante cinco noites, num período de 10 dias, mas levará meses antes de terem resultados e que possam revelar algo significativo.

Sem comentários:

Enviar um comentário