terça-feira, 29 de agosto de 2017

JAPÃO: AS SIRENES E OS ALTIFALANTES SOARAM AVISOS DE EMERGÊNCIA (com vídeo e fotos)

As sirenes soaram avisos de emergência quando o missil lançado pela Coreia do Norte sobrevoou a ilha de Hokkaido

 

Ontem, 3ª feira, as sirenes e os altifalantes soaram avisos de emergência quando o missil lançado pela Coreia do Norte sobrevoou a ilha de Hokkaido.

 

Este é o momento terrível em que as pessoas no Japão foram convocadas para se refugiar do lançamento de mísseis da Coréia do Norte.





Na terça-feira de manhã, os residentes horrorizados da ilha de Hokkaido despertaram com os sons das sirenes e anúncios de alto-falantes pedindo-lhes que se abrigassem.


O aviso veio depois que o regime de Kim Jong-un provocou uma nova indignação internacional ao lançar um missil sobre a ilha japonesa, antes das 6 horas da hora local.


O míssil viajou por cerca de 1.677 milhas de um aeroporto perto de Pyongyang antes de cair no Pacífico.



Coreia do Norte lança um missil sobre o Japão



"Refúgiem-se em um prédio sólido ou num abrigo subterrâneo".

 

O lançamento provocativo foi o primeiro míssil balístico do regime comunista a voar sobre o Japão desde 2009.



Nas últimas semanas, a Coréia do Norte lançou uma série de mísseis em direção ao país, levando o Japão a fazer vários exercícios militares.


O Japão reagiu ao lançamento de terça-feira como uma "ameaça grave e sem precedentes para o país", com o primeiro-ministro Shinzo Abe a alertar: "Nós faremos os maiores esforços para proteger firmemente a vida das pessoas".



O momento em que  as ruas de Hokkaido ficaram desertas



O movimento da Coréia do Norte também levou à condenação de todo o mundo, com a primeira-ministra britânica Theresa May a dizer que foi uma "provocação imprudente".

 

E Donald Trump advertiu que "todas as opções estão em cima da mesa" quando se trata de lidar com o regime.



Ele disse: "O mundo recebeu a última mensagem da Coréia do Norte alta e clara."

 

"Este regime mostrou seu desprezo pelos vizinhos, por todos os membros das Nações Unidas e por normas mínimas de comportamento internacional aceitável".

 


 Fonte: express.co

Sem comentários:

Enviar um comentário