quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

CHINA AVISA OS USA E A ALEMANHA PARA NÃO SE INTROMETEREM NA SUA SOBERANIA

A China advertiu os USA e a Alemanha por estes países se intrometerem em sua soberania






O Ministério das Relações Exteriores da China condenou uma declaração conjunta das embaixadas dos EUA e da Alemanha contra as decisões judiciais de dois supostos ativistas, alertando-os de que isso é uma "interferência flagrante" nos assuntos internos de Pequim.


"As embaixadas estrangeiras não têm o direito de fazer comentários irresponsáveis sobre a soberania judicial da China", disse Hua Chunying, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China.


Porta voz do ministério dos Assuntos Exteriores, Hua Chunying

 

Para Pequim, a crítica de Washington e Berlim é uma "interferência flagrante na soberania e independência judicial da China", disse Hua, que deixa claro que os tribunais deste país trataram os casos "de acordo com a lei".


A este respeito, ela lembrou as embaixadas relevantes de que não deveriam agir fora do que determina seus deveres e devem fazer algo para "ajudar a melhorar a confiança mútua, a compreensão mútua e a cooperação, e não o contrário".


As declarações da porta-voz vem em resposta a uma declaração conjunta das duas embaixadas, divulgada quinta-feira na qual expressaram seu protesto pelas sentenças proferidas na terça-feira contra o ativista e blogger Wu Gan e o advogado Xie Yang, culpado pelo crime generalizado de "subversão contra o poder do Estado".


A nota conjunta exige a libertação imediata de Wu Gan, sentenciado a oito anos de prisão e, quanto a Xie, condenado pelo mesmo crime que Wu, mas isento da prisão depois de confessar sua culpa. Washington e Berlim pediram para ser libertado e que seja permitido voltar a exercer a advocacia.

Sem comentários:

Enviar um comentário