sábado, 3 de fevereiro de 2018

ESCÂNDALO: EX OFICIAL DA MARINHA DOS EUA DAVA SEGREDOS EM TROCA DE SEXO (com fotos)

Ex-comandante da Marinha admitiu perante o tribunal federal a aceitação de subornos, inclusive através dos serviços de várias prostitutas






Um ex-oficial da Marinha dos EUA, Troy Amundson, é o último oficial de alto escalão a se declarar culpado no maior escândalo da história da Marinha dos EUA por admitir ao juiz ter divulgado informações confidenciais em troca de serviços sexuais


O ex-comandante da Marinha em sua condenação perante o tribunal federal em San Diego (Califórnia) admitiu a aceitação de subornos, inclusive através dos serviços de várias prostitutas, do contratado estrangeiro Leonard Glenn Francis e sua empresa com sede em Cingapura, a 'Glenn Defense Marine Ásia'.


"Amundson admitiu que, de setembro de 2012 a outubro de 2013, Francis pagou jantares, bebidas, transportes, outras despesas de entretenimento e os serviços de prostitutas para Amundson e outros oficiais da Marinha dos Estados Unidos", disse uma declaração do Escritório da Marinha dos Estados Unidos, informa um comunicado do Procurador dos Estados Unidos em San Diego, informou a CNN na quinta-feira.



O ex-comandante da marinha dos EUA conversa com membros da marinha das Filipinas, em 2010 



Os detalhes do texto que Amundson, responsável pela coordenação dos exercícios com os exércitos estrangeiros de 2005 a 2013, em troca desses favores, deu negócios da Marinha dos Estados Unidos à companhia de "Fat Leonard", como Glenn é conhecido pelos jornalistas .


Amundson eliminou toda a correspondência entre ele e Francis de sua conta de e-mail particular depois de ser entrevistado por investigadores federais em 2013. Os promotores indicam que, em um desses e-mails, o ex-comandante prometeu fornecer informações privadas da Marinha dos Estados Unidos para Francis.


Pouco depois de receber o e-mail com a promessa de informações, Francis coordenou a visita de várias prostitutas a serem enviadas para Amundson, que enfrenta até cinco anos de prisão e uma multa de US $250 mil. Em abril conhecerá a sua sentença.



Oficiais da marinha dos EUA vendem segredos em troca de sexo suburnos



O ex-oficial "deliberada, metodicamente e repetidamente trocou sua cargo público por despesas de entretenimento e serviços de prostitutas, e ao fazê-lo, ele se alinhou com um contratado de defesa estrangeiro sob o seu comando, seus colegas e seu país", denunciou o promotor federal Adam Braverman na declaração.


A investigação do caso deste contratante estrangeiro começou em 2013, e até agora 20 dos 29 réus se declararam culpados. Ele mesmo admitiu acusações de suborno e fraude em 2015.


Este caso aumenta os escândalos de corrupção e sexo que se espalharam pelas Forças Armadas dos EUA.

Sem comentários:

Enviar um comentário