segunda-feira, 2 de abril de 2018

PROCESSO QUE ACABARÁ COM UNIVERSO JÁ PODE ESTAR EM ANDAMENTO

Segundo as recentes revelações, o bosón de Higgs é capaz de destruir o Universo e o processo irreversível já poderia estar em andamento










Vários pesquisadores sugerem que a famosa partícula Bóson de Higgs poderia colapsar-se em um lugar distante do espaço, produzindo uma bolha de energia do vácuo em expansão que terminaria por tragar todos nós.


A partícula subatômica foi descoberta em 2012, quase 50 anos depois que Peter Higgs considerasse sua existência.





Segundo as recentes revelações, o bosón é capaz de destruir o Universo. Mais do que isso, o processo irreversível já poderia estar em andamento.


De acordo com os pesquisadores da Universidade de Harvard, é possível que a mencionada partícula já houvesse se colapsado sobre si própria no espaço.



Neste caso, em breve produzirá uma bolha de energia capaz de devorar todo o Universo. O estudo correspondente está disponível na revista Physical Review.


No entanto, vale destacar que não é o primeiro estudo físico que contém previsões apocalípticas semelhantes.


Por exemplo, se usar o modelo padrão da física de partículas, será possível calcular a data aproximada em que o Universo deixará de existir.


Não obstante, o fim do Universo demoraria a chegar por um tempo enorme — 139 anos elevado a 10.





Entretanto, no recente estudo dos físicos de Harvard, trata-se de um final do Universo menos previsível e mais próximo.


"Gostaríamos de corrigir todas as aproximações anteriores e obter a data mais exata possível", explica Anders Andreassen, autor principal da pesquisa.

Vale ressaltar que o Universo que se pode observar da Terra é apenas uma pequena parte do que realmente existe. Assim, aumenta-se a probabilidade de que ocorram coisas extremamente improváveis — inclusive o colapso de Higgs, em lugares que não somos capazes de ver.



A bolha de energia, supostamente já produzida, um dia poderia atingir a Terra e traga-la junto com toda a região espacial.


Segundo a teoria da relatividade de Einstein, a informação não pode espalhar-se mais rápido do que a luz, por isso seria impossível que as pessoas soubessem sobre o fim do mundo com antecedência.


Ao mesmo tempo, tendo em conta que o modelo padrão da física de partículas não define a matéria e energia escura, é possível que elas contenham uma partícula que atua como um estabilizador do bosón, evitando assim seu colapso.


Além disso, o fato de que o Universo continua estendendo já durante milhões de anos sem que o Bosón de Higgs colapse e produza uma bolha de energia destruidora, permite supor que na realidade existe alguma espécie de partículas estabilizadoras que não deixam que se acabe o mundo.

Sem comentários:

Enviar um comentário